quarta-feira, 11 de novembro de 2015

(DN) "Costa explica como o casamento à Esquerda pode acabar em divórcio"

Findo o debate e depois de chumbado o XX Governo Constitucional, António Costa acrescentou uma nota oral interpretativa aos acordos que horas antes assinara, às escondidas, numa sala do edifício novo do Parlamento com o BE, o PCP e o PEV. 
Os acordos limitam-se a dizer que os partidos signatários estão impedidos de votar moções de censura apresentadas pela Direita. Em face da lacuna, e questionado sobre o assunto, António Costa foi claro. 
Os acordos dizem que os partidos que os assinaram "se predispõem a assegurar condições de governação na perspetiva da legislatura". E isso "pressupõe, naturalmente, que há condições de eles próprios não apresentarem moções de censura". 
Portanto, "o dia em que qualquer deles sentir a necessidade de apresentar uma moção de censura é como o dia em que qualquer um de nós mete os papéis para o divórcio. Nesse dia o casamento acabou, nesse dia o governo acabou".

Diário de Notícias- 11-11-2015

Sem comentários:

Publicar um comentário