domingo, 21 de Setembro de 2014

Viseu - Ao rubro - Fernando Ruas, Almeida Henriques e o Viriato de Ouro

Celebra-se hoje o dia do município. Na câmara distinguem-se funcionários e personalidades. Ruas será uma dessas personalidades. 

Um Viriato de Ouro é algo que se atribui muito excecionalmente, numa cerimónia excecional - e parace não ser o caso da cerimónia. 

Os jornais asseguram que Fernando Ruas não estará presente para receber de Almeida Henriques a distinção aprovada no Executivo e na Assembleia Municipal, por unanimidade. 

Logo à tarde se saberá se há fumo sem fogo ou se haverá mesmo fogo com muito fumo.

sábado, 20 de Setembro de 2014

Domingo - Congresso da Federação distrital de Viseu do PS

Realiza-se amanhã, em Viseu, na Aula, Magna do IPV, o Congresso da Federação Distrital de Viseu do PS. 

Será apresentado o Relatório pelo presidente cessante, apresentadas e discutidas as duas moções de orientação política geral, a do presidente eleito, António Borges, e a do seu adversário, Acácio Pinto. 

Poderão ainda ser discutidas moções setoriais e serão eleitos os seguintes órgãos: Comissão Política Distrital, Comissão de Jurisdição e Comissão de Fiscalização Económica e Financeira.

Este mandato, em função dos atuais estatutos do PS, irá até às próximas eleições legislativas, data a partir da qual, num prazo de 120 dias, será convocado novo Congresso, em 2016.

Isto não era sempre subir, dr. Pires de Lima? Atividade económica volta a cair

A atividade económica acentuou a queda em agosto, fixando-se em valores negativos pelo segundo mês consecutivo, segundo os indicadores de conjuntura publicados hoje pelo Banco de Portugal. 

O ministro da Economia é que disse que isto da economia "era sempre a subir"!

O indicador coincidente mensal da atividade económica, calculado pelo Banco de Portugal, caiu 0,6% em termos homólogos no mês passado, acentuando a descida que já se tinha verificado em julho (-0,2%).


O indicador coincidente do consumo privado continuou a subir (1,2%), mas diminuiu face ao mês anterior (1,4%).

Portanto, mais uma vez se conclui que proclamações não são soluções

OCDE: Crescimento Anémico na Zona Euro


A última previsão da OCDE é de crescimento anémico para os países da Zona Euro: 0,8% em 2014 e 1,1% em 2015. Esta quase estagnação da UE será acompanhada pelo Japão, segundo a OCDE. 

Mas as previsões algo mais optimistas que faz para os EUA, com uma "recuperação" não acompanhada pelo crescimento do emprego, são contestadas por autoridades estatísticas como John Williams

Contudo, ninguém ousa utilizar a palavra depressão ... 

sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Crescimento e PIB - Irlanda revê em alta e Portugal em baixa

Ontem a Irlanda reviu em alta as previsões de crescimento e agora aponta para que o PIB aumente 4,5% este ano. 

A Irlanda vai crescer com exportações, construção e aumento do consumo privado. 

Como temos dito, em Portugal o Governo insiste numa austeridade sistemática e excessiva que não permite crescimento económico e agrava ainda mais os problemas de finanças públicas.
Em consequência, e nomeadamente pelo efeito na  redução das necessidades em subsídio de desemprego, a previsão é que o défice seja de 3,5% e não de 4,8% como constava do OE2014. Ou seja: 
 - a Irlanda tinha projectado um défice maior do que Portugal (4,8% vs 4%) e com isso acabou por crescer bastante mais do que o previsto e vai ter um resultado orçamental melhor do que o do nosso país. 

Novo Citius custará centenas de vezes mais do que os tribunais encerrados

Em cima do joelho. Foi assim que a ministra desenhou e aprovou em novembro de 2011 o "Plano de Ação para a Justiça na Sociedade da Informação". 
Incapaz de prever ou de querer conhecer, a ministra sabe agora que o custo da sua incompetência funcional vai custar centenas de vezes mais do que aquilo que falaciosamente disse ir poupar ou agilizar na Justiça com o encerramento de tribunais. É como se vê! Grande reforma!

"Um sistema novo, com um software desenhado à medida das novas comarcas e que custará "dezenas e dezenas de milhões de euros". Mas que nunca estará pronto em menos de três anos. 
Esta foi a solução apresentada por Rui Mateus Pereira, presidente do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, responsável pelo sistema informático Citius - que desde o passado dia 1 está parado e a provocar o caos nos tribunais - para tentar "solucionar" o problema. 
Fonte oficial do Ministério da Justiça nega que esteja em curso este "remendo" ao Citius e apenas admite que "existe um plano a médio e longo prazo (...) que não se prende, nem tem qualquer correlação com a situação atual do Citius", remetendo para o "Plano de Ação para a Justiça na Sociedade da Informação", aprovado em "Diário da República" em novembro de 2011." Diário De Notícias- 19-09-2014