sexta-feira, 18 de Janeiro de 2013

Quadratura - Pacheco Pereira, Lobo Xavier e António Costa

Pacheco Pereira:
"Aquilo" (conferência) é o equivalente a uma sessão de propaganda, supostamente de debate, em que tudo o resto (para além das intervenções do governo) é controlado. O governo não quer uma discussão de fundo sobre o Estado; desde o momento inicial da "refundação do memorando", o governo já negociou tudo com a troika, o que não significa que não tenha medo do que faz e queira companhia; o apelo da "refundação do memorando" era um apelo desesperado ao PS para uma revisão constitucional.

Lobo Xavier
O PS não quer ser trazido para esse debate, mas ninguém fez nada para que o PS quisesse; durante um tempo esteve aberto a consensos e agora está numa linha diferente, não querendo ter nada a ver com isto.

António Costa

O governo não faz isto só por incompetência; é hoje claro que a troika é apenas um pretexto para a aplicação de um programa. A troika mostrou-se disponível para dar mais tempo, mais dinheiro e menos juros e o governo não o quis. Os 4 mil milhões são um falhanço e um falhanço provocado.
A UE não quer repetir com Portugal o mesmo erro que cometeu com a Grécia e a sua principal preocupação não é Portugal, desde que mantenha as aparências. O regresso aos mercados é um objectivo antecipadamente garantido, com a contrapartida de manter as aparências, de executar o programa e não aparecer nas notícias.

Sem comentários:

Enviar um comentário