segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Catarina Martins dá cartas ao PCP e Jerónimo ao PS

Catarina Martins lembrou a Jerónimo que tudo o que se acorda é para ser escrito e assinado; e modera-lhe os ímpetos sublinhando que aumento do salário mínimo sim, mas durante quatro anos. Entretanto já garantiu do PS o descongelamento das pensões, facto que os beneficiários podem tributar em primeira mão ao BE.
O PCP exige ao PS o fim dos cortes nos salários e da sobretaxa do IRS, bem como a diminuição para 35 horas do horário de trabalho, ao mesmo tempo que reivindica a reversão das concessões nos transportes. 
E o que reivindica o PS? Apenas um acordo (de mínimos) a três para viabilizar António Costa como primeiro-ministro. Em algum momento isto foi discutido na Comissão Nacional do PS, o órgão máximo entre congressos? Não, e só acontecerá depois do facto consumado. Quanto custa tudo isto, politica e financeiramente? Depois se verá!!!

Sem comentários:

Publicar um comentário