quinta-feira, 12 de março de 2015

Ministro da Saúde - um "frenesim" para quatro meses eleitorais

Paulo Macedo, proclamatório, anunciou ontem na AR tudo o que vai ser feito 4 meses - antes das eleições - e que não teve tempo para fazer em 4 anos ... ao que parece. 
Curiosamente confessou - tal como eu já afirmara publicamente - que os inquéritos abertos aos casos de mortes nas urgências hospitalares só serão conhecidos depois de deixar de ser ministro.

"A pergunta sobre os resultados dos inquéritos abertos aos casos de mortes nas urgências hospitalares surgiu ainda no arranque da comissão parlamentar de saúde com a deputada socialista Luísa Salgueiro. Foi repetida várias vezes ao longo das quatro horas, mas a resposta só chegou com a derradeira insistência da bloquista Helena Pinto. 
O ministro da Saúde, ouvido ontem no Parlamento, respondeu que, em média, estes inquéritos demoram entre seis meses e 18 meses. Os resultados poderão, assim, chegar apenas depois de Paulo Macedo terminar o mandato e já sem ser a tempo do próximo inverno"

Sem comentários:

Publicar um comentário