quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

TAP - se fosse com o PS caía o Carmo e a Trindade

TAP: uma venda ilegítima. O governo quer vender em quatro meses o que não vendeu em quatro anos. 

Está a fazê-lo em véspera de eleições, a sós, à pressa e à socapa. Não deu cavaco a ninguém. 

O PR tem a legitimidade política e a obrigação moral de impedir que um governo em "phasing out" dilapidasse um património de significado único para o país.

Compreendo, pois, bem, muito bem, as palavras do meu colega  Rui Paulo Figueiredo ao afirmar que o Governo devia "ter vergonha" de privatizar a TAP, "a três meses das eleições(...) "O PS entende que o primeiro-ministro e o Governo deviam ter vergonha do que se está a passar no processo de privatização da TAP. O Governo devia ter vergonha da falta de transparência do processo".

Sem comentários:

Publicar um comentário