domingo, 18 de agosto de 2013

As televisões, os comentadores e a farsa

Os comentadores partidários abundam, uns mais do que outros. Os analistas políticos não comprometidos são raros. Para lançar o debate, para o alimentar, era necessário ir mais longe e fazer diferente. 

O esquema que existe está esgotado. Por exemplo, o que acrescentam Marcelo, Marques Mendes, Manuela Ferreira leite ... e afins? 

Já se sabe que a leitura é sempre partidária e os momentos menos monótonos são os que resultam dos recados para dentro do seu próprio partido ou do seu próprio governo. Já não há paciência! É transversal. Ninguém fica de fora!

Sem comentários:

Publicar um comentário