sábado, 27 de abril de 2013

Martin Schultz abre o 2º dia do XIX Congresso do PS

Martin Schultz, Presidente do Parlamento Europeu, e deputado alemão, critica a incapacidade da "Europa do Dinheiro" de regressar novamente à "Europa das Pessoas". Critica as politicas de austeridade, que falharam em todos os países, e denuncia a desigualdade nas taxas de juro. Para alguns são negativas, para outros custam 6% ou 7%. Questiona o futuro dos jovens a quem a direita europeia insiste em barrar o caminho oferendo desemprego em vez de trabalho. "Todos somos europeus, temos direito à paz e à justiça social".

Síntese - "A política unilateral de cortes orçamentais encaminha-nos para o abismo ... devemos assumir a luta contra o desemprego jovem como uma prioridade ... os Estados Unidos e o Japão emitem moeda e nós devemos reclamar um alargamento do prazo suplementar de um ou dois anos para podermos atingir o equilíbrio das contas ... O mercado comum deveria traduzir-se em riqueza comum. Mas, hoje em dia, a riqueza de uns alimenta-se da perda dos outros ... a ideia de uma Europa, de uma cooperação transfronteiriça para liderar os desafios ... Uma Europa do sec XXI é incontestável. Mas hoje os cidadãos assimilam esta ideia tecnocrata europeia e rejeitam-na. A minha proposta não é a de abandonar esta bela ideia mas sim de, juntos, transformarmos a tecnocracia para coloca-la ao serviço dos cidadãos."

Sem comentários:

Publicar um comentário